Apoio a Bolsonaro começa a perder força nas redes sociais, diz estudo


A empresa AP Exata monitorou a imagem do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e constatou que houve uma piora em seu desempenho nas redes sociais durante o mês de janeiro de 2020.

Os comentários negativos sobre o governo no mês passado se aproximaram dos favoráveis no Twitter. Foram 14 dias de menções majoritariamente críticas ante 16 dias em que os apoios dominaram as redes. Em um dia, as publicações favoráveis e contrárias ficaram no mesmo nível.

A AP Exata também diagnosticou no início de fevereiro que o mau humor em relação ao governo deve seguir avançando nas redes sociais. Até domingo, foram seis dias negativos, dois neutros e um positivo.

“Bolsonaro está perdendo o controle narrativo nas redes. Em janeiro de 2019, ele não tinha esse domínio por causa da polarização eleitoral e da revelação do caso (Fabrício) Queiroz (ex-assessor parlamentar de Flávio Bolsonaro suspeito de prática de rachadinha). Depois, ele conseguiu impor suas narrativas e estabilizou, mas agora começa a perder essa capacidade novamente”, explicou o diretor da AP Exata, Sergio Denicoli.