Artista plástico é morto durante ação policial em Candeias


Artista plástico conhecido no município de Candeias, Região Metropolitana de Salvador, Arnaldo Filho, de 61 anos, conhecido como Nadinho, foi morto no último sábado (21/04). Parentes e amigos informaram que o profissional morreu quando policiais militares entraram na casa dele em busca de um suspeito. Nadinho foi atingido no braço e no tórax.

Foto: Divulgação

Em nota, a Polícia Militar informou que um homem havia invadido a residência no bairro Santo Antônio. Ainda de acordo com os agentes, as equipes bateram na porta do imóvel e se identificaram como policiais militares: “Contudo, o homem que apareceu em uma das janelas recepcionou os policiais empunhando e apontando uma arma de fogo contra os integrantes das guarnições”, informou a PM.

Foi apreendido, segundo a Polícia Militar, um revólver calibre 32. A arma tinha seis cartuchos, sendo dois não deflagrados e quatro intactos.

A Corregedoria da Polícia Militar da Bahia (PMBA) instaurou um Inquérito para esclarecer o ocorrido, cujo prazo é de 40 dias prorrogáveis por mais 20.

A morte de Nadinho causou comoção no município. A prefeitura de Candeias divulgou nota lamentando o ocorrido contra o artista plástico. O prefeito Dr. Pitágoras disse que vai se reunir com o comandante da Polícia Militar da Bahia, Coronel Anselmo, para tratar da violência na cidade.

Veja o texto:

“A Prefeitura de Candeias divulga nota de pesar pela morte do grande artista e pintor de nossa cidade Arnaldo Filho (Nadinho), que aconteceu ontem e que deixou todos moradores abalados devido às circunstâncias em que aconteceu.

Nadinho teve sua vida interrompida de forma brusca, mas sua história não se apagará. Há pouco tempo, em um bela exposição na praça, retratou através de suas mãos a história de nossa cidade, como visto neste quadro abaixo, da estação, e que fazemos questão de homenagear.

O Prefeito de Candeias, Dr. Pitagoras, afirmou que marcará mais uma reunião com o comandante geral da Polícia Militar da Bahia, Coronel Anselmo, para tratar mais uma vez da onda de violência na cidade: ‘Pediremos também às autoridades policiais uma investigação séria, justa e célere, para que a nossa cidade tenha a resposta para este fato tão lamentável que nos deixa tão abalados neste momento. Para a família, só podemos neste momento desejar o conforto da fé para enfrentarem esse momento tão difícil’.”