Bolsonaro diz que o Brasil está preparado para protestos, mas não preocupado


O presidente brasileiro Jair Bolsonaro disse no sábado que seu governo está alerta e preparado para qualquer possível agitação social após semanas de protestos que provocaram ondas de choque em toda a região nas últimas semanas, mas acrescentou que não está preocupado.

“É claro que a América do Sul é uma preocupação para todos nós”, disse ele em um evento no Rio de Janeiro, destacando em particular o caso da Venezuela. “Temos que estar preparados e não nos surpreender com os fatos, mas até agora não vejo razão para esse movimento vir aqui”.

Ele também descreveu os recentes protestos no Chile, cuja ditadura 1973-1990 Bolsonaro elogiou no passado, como excessivos.

“Essas não são manifestações, são atos de terrorismo”, afirmou Bolsonaro.

Bolsonaro acrescentou que o governo está considerando legalizar a exportação da chamada madeira “in natura” – troncos nativos da Amazônia e outras florestas que poderiam ser vendidas no exterior sem qualquer processamento prévio.

O presidente disse que o caso está sendo analisado pelo ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e a permissão para exportar essa madeira pode precisar de aprovação do Congresso.

“É melhor exportar de maneira legalizada do que clandestina”, disse Bolsonaro. “Ricardo Salles vai me dar a palavra final na próxima semana.”

Bolsonaro enfrentou críticas de alguns países e grupos ambientais por sua administração da Amazônia, um dos principais baluartes do mundo contra as mudanças climáticas. Bolsonaro argumenta que é a escolha do Brasil como desenvolver sua terra.

No sábado, ele disse que não estava preocupado com as acusações dos críticos contra ele.

Não estou preocupado em perder aliados. Estou preocupado em não perder o Brasil ”, afirmou.

Reportagem de Rodrigo Viana