Cesta do Povo abre mais de 400 vagas de emprego em Salvador e RMS; envie seu currículo


A Cesta do Povo que por mais de 30 anos foi a única rede de supermercado estatal no Brasil, vai reabrir várias unidades na Bahia por meio da iniciativa provada e gerar mais de 400 vagas de trabalho. De acordo com as informações divulgadas pela empresa, os interessados podem se candidatar através do envio do currículo por e-mail.

Cesta do Povo já tem lojas abertas nos bairros da Boca do Rio, Mussurunga, Mata Escura e Castelo Branco, além disso, já estão funcionando as unidades do interior em Mata de São João, Dias D’Ávila, Feira de Santana, Santo Estevão, Porto Seguro, Una, Itabela, Barra e Juazeiro. Em breve devem ser inauguradas a Cesta do Povo do Ougunjá, em Salvador e as lojas de Morro do Chapéu, Irecê, Senhor do Bonfim e Xique-Xique.

No momento há vagas abertas para vagas d Gerente e Coordenador de Loja e que deverá apresentar experiência mínima de 2 anos na função, residir em Salvador e Região metropolitana.

A empresa não divulgou informações sobre valores de salários, escala de trabalho nem sobre os benefícios que a mesma oferece, mas destacou que essas e outras informações serão passadas ao candidato (a), no momento da entrevista pessoal.

Candidatura

Os interessados que atendem aos requisitos exigidos e deseja concorrer a vaga pode se candidatar através do envio do currículo atualizado para o endereço de e-mail: [email protected] até 26/06 com o título da vaga e aguarde o contato para próximas etapas do processo seletivo.

Sobre a Cesta do Povo

Cesta do Povo é uma rede de supermercados da Empresa Baiana de Alimentos (Ebal), que pertence ao governo da Bahia. Seu foco é subsidiar os principais produtos da cesta básica para tornar acessível à população de baixa renda. Hoje, está presente em 242 municípios baianos com um total de 300 lojas.

Em 1979, o governador Antonio Carlos Magalhães criou o Programa de Abastecimento de Alimentos Básicos, quando foi anunciada a Cesta do Povo em 1º de junho e entrou em funcionamento em 21 do mesmo mês.

A empresa passou por reestruturação após grande crise financeira provocada pela gestão dos ex-diretores administrativo e financeiro da Ebal, Geraldo Oliveira e Antônio Mário Bastos, respectivamente.

No final de 2014, o governador eleito para a gestão 2015-2018, Rui Costa, anunciou a privatização da rede, devido aos inúmeros repasses feitos pelo Tesouro Estadual, que já chegou atingir R$ 60 milhões em determinados anos, para manter ativa a rede de supermercados