Cortejo Cultural arrasta multidão nos 35 anos da Lavagem do Caranguejo


Quando a cantiga para Oxalá tocou no Alto da Itinga, neste domingo (2), em Lauro de Freitas, o Cortejo Cultural da Lavagem do Caranguejo comemorou 35 anos de tradição e resistência. Conduzido pelo Afoxé Zaga Zumbi, conjunto precursor da lavagem, o cortejo reuniu grupos de baianas, capoeiristas, mestres da cultura popular, companhia de teatro e munícipes, que percorreram até o Largo do Caranguejo com mensagem de paz.

Da janela das casas, de estabelecimentos, ou no meio do cortejo, todos prestigiaram a história que começou em 1983, quando um grupo de pessoas da comunidade de Itinga fundou a agremiação afro-carnavalesca Zaga Zumbi. “Criamos o bloco para desfilar no carnaval de Salvador. Não conseguimos, então foi a partir daí que iniciamos a tradição. Colocamos o cortejo na Itinga para o Zaga Zumbi, hoje Afoxé, desfilar. A Lavagem do Caranguejo surge por conta do cortejo”, contou o babalorixá Pai Cezar. O corpo de bombeiro, polícia militar e ambulância da saúde Municipal acompanharam o cortejo.

As vassouras nas mãos das baianas e os vasos com flores e água de alfazema sobre as cabeças, anunciaram mais um ano de lavagem e resgate da história. Junto a elas, a prefeita de Lauro de Freitas, Moema Gramacho, percorreu todo o trajeto com muita alegria. “Mais uma vez a tradição foi cumprida. Resgatamos a história desta localidade, do bairro mais populoso do município. Nossa cidade é rica em cultura e estamos lutando para manter todas as tradições” enfatizou Moema, ao saudar as baianas como patrimônio imaterial e anunciar a Grande Festa Portão, para os dias 8 e 9/12.

Encenando a Lavagem do Caranguejo, a CIA Municipal de Teatro de Lauro de Freitas, foi a primeira a chegar ao fim do percurso. O Polo de Capoeira e o grupo Afro Azânia, da mestra da cultura popular Aidê, demonstram, através das artes, a força de suas origens. No Largo do Caranguejo, ponto final do trajeto, a chuva forte adiantou a lavagem que seria feita com auxílio de um caminhão pipa. “Nosso pai acabou de fazer a parte dele e isso é lindo. Todos nós estamos sendo abençoados agora” disse a baiana Juliana do Amor Divino, 72.

No entorno do cruzeiro, a lavagem feita pelas baianas finalizou os agradecimentos e reverência aos orixás. Teobaldo Ribeiro, aposentado, acompanhou o cortejo do início ao fim. “Sou morador da Itinga. Para a gente, é um prazer ver que nossa cultura está sendo mantida”, afirmou o senhor com riso de satisfeito. A Lavagem do Caranguejo foi aberta com shows e desfile de blocos no sábado (1/12). Neste domingo, a programação continuou após o cortejo com apresentação de bandas locais e desfile de blocos nos circuitos Parque Santa Rita e Senhora Valentina.