Depois do Bradesco, Itaú também deve fechar 400 agências até o fim do ano


Itaú fechará agências
Itaú fechará agências

No contínuo processo de digitalização dos bancos, o Itaú Unibanco vai fechar 400 agências até o final deste ano. Além disso, 3,5 mil funcionários da instituição aderiram ao programa de demissão voluntária anunciado em setembro deste ano. Recentemente, o Bradesco anunciou o fechamento de 450 agências.

O presidente do Itaú, Candido Bracher , disse, durante teleconferência de resultados do terceiro trimestre, que as agências fechadas estão a menos de 500 metros de outras agências e não impactam o atendimento aos clientes.

Em relação ao programa de demissões, 50% dos funcionários que estavam elegíveis para o desligamento aderiram, gerando um efeito de R$ 2,4 bilhões nos números do banco neste trimestre, antes de impostos.

— O fechamento de agências não impacta o atendimento ao público, tanto que temos crescimento do índice de satisfação dos clientes. É claro que as agências próximas umas das outras vão se esgotando e a decisão de fechar daqui para a frente vai requerer uma análise mais profunda. Mas não digo que não vai acontecer — afirmou Bracher.

Em maio, o banco havia divulgado a previsão de fechamento de agências este ano, mas esse movimento poderia acontecer em duas etapas, com 200 pontos sendo fechados nos próximos 12 meses e as demais 200 agências encerrando suas atividades em 2020. Mas o presidente do banco afirmou que a totalidade dos fechamentos acontecerá até o final deste ano.

Em junho, o Banco do Brasil também anunciou uma reestruturação de suas agências. Embora, não esteja prevista redução de pontos de atendimento, o banco vai transformar 333 agências em postos avançados (com estrutura menor e mais barata) e 49 postos de atendimento em agências. Também serão abertas 42 agências em empresas. O objetivo, segundo a instituição, é “propiciar melhor experiência aos clientes e incrementar a eficiência operacional”.