FGTS: saque imediato ainda está disponível para 36 milhões de brasileiros


FGTS
Imagem ilustrativa

Aqueles que possuem saldo no fundo do FGTS devem ficar atentos, pois o prazo para a retirada do dinheiro segue até a próxima semana. Na terça-feira, 31 de março, é o último dia para receber a quantia na modalidade imediato.

De acordo com dados da Caixa Econômica cerca de 36 milhões de trabalhadores ainda não sacaram o seu dinheiro.

O saque imediato se iniciou no mês de setembro do ano passado para os correntistas da Caixa, que tiveram o crédito automaticamente em sua conta.

Já para os não correntistas o saque começou em outubro. O pagamento foi realizado de acordo com um calendário que seguia o mês de aniversário do trabalhador.

Após o fim do calendário, aqueles que ainda não realizaram o saque, independente do mês de aniversário, só poderão receber a quantia até o dia 31 de março.

Saques

Inicialmente o calendário de saques previa limite máximo de até R$500 por conta vinculada do FGTS. O governo decidiu que os trabalhadores poderiam retirar o dinheiro total, desde que até dia 24 de julho de 2019 tivessem somado um saldo de R$998.

O dinheiro complementar foi liberado desde o dia 20 de dezembro para todos, mesmo aos que já tinham retirado os R$500 de suas contas.

Se o trabalhador não fizer o saque do seu saldo até a data limite, o dinheiro vai retornar para as contas com a atualização monetárias e juros que correspondem ao período em que estiveram disponíveis para que fossem sacados.

Os correntistas que não quiserem retirar o dinheiro, podem informar isso a Caixa até o dia 30 de abril deste ano.

Se isso for feito, mesmo que o crédito tenha caído em conta, o banco terá um prazo de 60 dias para retornar os valores para a conta vinculada do FGTS.

O saque imediato não possui relação com o saque-aniversário, que começará a ser pago no mês de abril deste ano.

E também não impede que o trabalhadores recebam o fundo na demissão por justa causa, na aposentadoria, compra da casa própria e etc.