Implantação de aterro sanitário gera polêmica em Simões Filho


A polêmica em torno da instalação de um aterro sanitário, gerenciado pela empresa Naturalle, em Simões Filho ainda está longe de terminar. Ultimamente, a pauta vem sido motivo de inúmeras discussões na Câmara Municipal.

Na tarde desta quinta-feira (9), o vereador Sandro Moreira (PSL) protocolou um ofício junto ao presidente da Câmara, com cópia autenticada à Comissão de Meio Ambiente solicitando Audiência Pública em caráter de Urgência/Urgentíssima, a fim de discutir sobre a implantação do lixão no município e assim chegar a um denominador comum.

Apesar de ser um tema tratado com descaso pelo presidente da casa, o vereador Orlando de Amadeu (PSDB), a chegada destas instalações em Simões Filho poderá comprometer as águas do aquífero do Vale do Itamboatá, que são responsáveis pelo abastecimento de 40% de toda a região metropolitana de Salvador, através das afluentes dos rios Joanes e Ipitanga, e ainda colocará em risco dezenas de espécies sob ameaça de extinção, que vivem no santuário da mata atlântica situado no local.

Aterro sanitário será implantado em Simões Filho: Foto: reprodução

De acordo com o vereador, já que durante as sessões a mesa diretora manipula as discussões, de modo que, sempre que o assunto do aterro sanitário é tocado, os microfones são desligados e a fala é interrompida, nada mais justo do que mobilizar aqueles que de fato estão interessados em resolver o problema para discutir a situação em uma audiência democrática e aberta ao público.

Ainda conforme o parlamentar, um dossiê com documentos ligados aos diversos órgãos de competências inerentes ao meio ambiente está sendo preparado para combater a ação da prefeitura, inclusive junto ao Ministério Público.

“Existem aqui os pareceres do INEMA, do Ministério Público, do Governo do Estado, do Conselho Regional de Agricultura da Bahia e todos esses documentos não são à toa não. Eu estou aqui em defesa do povo, não de vereador nenhum, nem do prefeito. Eu estou aqui legitimando uma defesa que me foi outorgada pelo voto popular”, disse Moreira.

Ativistas também estiveram na Câmara Municipal de Simões Filho para protestar, de forma pacífica contra a implantação do aterro sanitário no município. Com cartazes pedindo que a medida fosse revogada pelo prefeito Dinha, os manifestantes tentaram um diálogo na casa, mas até então sem sucesso.

Aterro sanitário será implantado em Simões Filho: Foto: reprodução