Lauro de Freitas: Três suspeitos morrem após chacina em Portão


Morreram na tarde deste domingo (19) três indivíduos acusados de participarem na chacina que resultou em cinco mortos no bairro de Portão, em Lauro de Freitas, região metropolitana de Salvador. Conforme as informações da polícia, o grupo, pertencente à facção Bonde do Maluco (BDM) estava comemorando os homicídios do último sábado (18), na região da Lagoa dos Patos.

A Polícia conta que guarnições da 52ª CIPM e da Rondesp foram até o local para averiguar a denúncia anônima de que homens comemoravam as mortes ocorridas no dia anterior, em Portão, e ao cercar a localidade da Lagoa dos Patos, agentes policiais foram recebidos a tiros. Durante o confronto três homens foram atingidos e socorridos para o Hospital Geral Menandro de Farias, mas o óbito de Robson Rodrigues dos Santos e outros dois de identidade desconhecida foi confirmado no local.

De acordo com informações da Secretaria de Segurança Pública do Estado da Bahia (SSP-BA), com os homens a polícia encontrou duas pistolas calibres 9mm, mesmo tipo de arma utilizada nas mortes, e um revólver calibre 38.

Foto: SSP-BA

Sobre a chacina

Cinco pessoas  foram mortas a tiros neste sábado (18) no bairro de Portão, em Lauro de Freitas. O crime aconteceu na rua Boca da Mata. De acordo com testemunhas, quatro homens que estavam em um carro branco, de modelo não identificado, pararam no meio da Rua, na Travessa Santo Antônio onde as vítimas estavam reunidas, e efetuaram vários disparos.

Segundo a Secretaria da Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), morreram no ataque Raimunda Jesus dos Santos, 35 anos, Rogério Oliveira da Silva, 36, Guilherme Gomes da Silva, 19, e os adolescente Pablo dos Santos, 15,  Raiane Freitas, 12.

Arthur Silva de Jesus Moreira, 23, foi baleado na cabeça e encaminhado para o hospital, mas segundo pessoas próximas, ele teve o jovem não resistiu e morreu na unidade médica.

Em nota, a SSP-BA informou que as mortes foram motivadas por disputa de duas facções criminosas que atuam na região. A secretaria destacou que o fato está sendo investigado pela Polícia Civil, que apura as motivações e o modo como o crime aconteceu.