Novo golpe do WhatsApp envolve saque do FGTS; saiba como se proteger


Um novo golpe que circula pelo WhatsApp usa o saque do FGTS como isca para atrair vítimas. Em apenas dois dias, mais de 100 mil pessoas receberam, acessaram ou compartilharam o link malicioso, segundo o dfndr lab, laboratório especializado em segurança digital da empresa PSafe.

Ao clicar no link do golpe, o usuário é incentivado a responder uma pesquisa, com perguntas como “Deseja sacar todo seu FGTS ou parcial?” e “Você sacou algum valor do FGTS nos últimos 3 meses?”.

Independentemente das respostas, ele é encaminhado a uma nova página, que pede para compartilhar o link com mais dez amigos do WhatsApp e liberar o suposto saque de sua conta.

“O objetivo desse golpe é induzir o usuário a conceder permissão para receber futuras notificações com outros golpes diretamente no celular, abrindo um canal direto de comunicação entre o cibercriminoso e a vítima”, disse Emilio imoni, diretor do dfndr lab. ” Além disso, ele é direcionado a páginas para realizar cadastros indevidos em serviços de SMS pago. A partir do momento em que este cadastro ocorre, sem perceber, a vítima passa a receber cobranças indevidas.”

Para não cair em ataques como esse, o especialista sugere tomar alguns cuidados, como sempre checar se o link é verdadeiro ou não e desconfiar de promessas fáceis ou muito vantajosas, incluindo supostos benefícios do governo.

Saiba como se proteger

Thiago Leite Porto, pesquisador da Proteste, associação brasileira de consumidores, alerta que o golpe do FGTS não é o único golpe de phishing no mercado. O pesquisador aconselha não acreditar em endereços de web enviados por redes sociais ou mensageiros, mesmo que seja enviado por uma pessoa conhecida. A orientação é sempre verificar a origem e veracidade do e-mail, mensagem ou link que recebeu. E nunca confiar em mensagens enviadas por remetentes que você não conheça ou ache estranhos.
Porto ainda arma que e-mails que pedem confirmação de dados pessoais e senhas são, geralmente, golpes. “Caso o consumidor tenha dúvidas é importante sempre buscar o site
ocial (http://www.fgts.gov.br)”, afirma.

Por Uol