População cobra mais ação da Secretaria de Ordem Pública de Simões Filho


A administração de Diógenes Tolentino em Simões Filho já está próxima de completar oito meses. Das treze secretarias do município, a população vem fazendo muitas cobranças para a pasta da Ordem Pública, comandada pelo capitão Bartolomeu Mota de Oliveira.

O dever dessa secretaria é organizar os ambulantes do município, combater a poluição sonora e fiscalizar os espaços públicos. Entretanto, a população denuncia que ainda há muito para ser organizado em Simões Filho.

Com o desemprego local, algumas pessoas acabam se tornando ambulantes e colocam coisas para vender na rua. Assim, muitos locais de locomoção dos pedestres acabam sendo ocupados por comerciantes.

Além disso, a poluição sonora é um dos outros motivos de reclamação dos moradores. Nos fins de semana, há motoristas que abrem o porta-malas do carro para ligar o som, o que tira a paz de quem mora em Simões Filho

Um morador de um conjunto residencial no distrito de Santo Antônio do Rio das Pedras disse ao FALA SIMÕES FILHO que o local vira um inferno com o som alto.

“[O som] chega a ficar ate ás quatro da manhã do dia seguinte. Não podemos falar nada. se a secretaria fosse se mais presente, isso não aconteceria”, contou o morador, que preferiu não se identificar.

Já a aposentada Patrícia Sales, de 65 anos, reclamou da desorganização da cidade: “É comerciante que toma o passeio publico, é veiculo estacionado nos passeio e o som alto que não respeita a tranquilidade do outro”, criticou a moradora, classificando a situação como um “verdadeiro inferno”.