Prefeito de Simões Filho é investigado pelo MP por irregularidades no gasto de verba pública


(reprodução)

O Ministério Público da Bahia (MP), através da 4ª Promotoria de Justiça, deu início nesta semana a um Inquérito Civil, onde apura  possíveis irregularidades na Prefeitura Municipal de Simões Filho referentes à contratação das empresas de propaganda e o gasto de verba pública com material publicitário entre os anos de 2017 e 2018.

O inquérito foi instaurado a partir de uma representação do Sr. Erivaldo dos Santos, conhecido popularmente como Sargento Santos, militar lotado na 22°Companhia Independente de Polícia Militar, que também é Bacharel em Ciências Políticas.

De acordo com o Sargento, a denúncia está embasada na falta de responsabilidade do prefeito de Simões Filho para com o uso do dinheiro público. Enquanto a população reivindica pelo mínimo de dignidade, a gestão atual continua investindo milhões em publicidades que não retratam a realidade do município.

Veja o documento na íntegra:

Dinha poderá responder por improbidade administrativa. (reprodução/MP)

Esta não é a primeira vez que um inquérito do MP é aberto para investigar a gestão atual. Em abril deste ano o órgão já havia instaurado inquérito a partir de uma denúncia protocolada pelo vereador e líder da bancada de oposição, Sandro Moreira (PSL), com base no artigo 73, VII da Lei 9504/97, que dispõe sobre o limite legal de gastos com publicidade em ano eleitoral.

Em um dossiê preparado pelo parlamentar, anexado junto à denúncia formalizada ao MP, o vereador trouxe indícios prováveis de que o prefeito Diógenes Tolentino estaria utilizando a máquina pública para favorecer a campanha da sua esposa, então candidata a deputada estadual, Kátia Cristina. A mesma conseguiu se eleger.

Dinha poderá responder por improbidade administrativa, caso os dois processos, que seguem em andamento, comprovem as irregularidades. Podendo estar inelegível nas próximas eleições ou até ter bens bloqueados.