Reconhecimento facial chegará em Simões Filho e mais de 50 cidades baianas


A empresa Face Plus Plus, que desenvolve tecnologia de reconhecimento facial, anunciou neste domingo (12), interesse em participar da licitação do Governo da Bahia para a implantação do sistema em Simões Filho e mais 54 cidades baianas. O secretário da Casa Civil, Bruno Dauster, explicou que a licitação deve ser lançada ainda neste semestre.

Atualmente, um projeto piloto de reconhecimento facial da também chinesa Huawei está em execução na capital baiana. O serviço de reconhecimento facial deve ser implantado em municípios como Itabuna, Ilhéus, Salvador, Eunápolis, Teixeira de Freitas, Simões Filho, Barreiras, Santo Antônio Camaçari, Porto Seguro, Feira de Santana e Vitória da Conquista. Neste domingo, em sua terceira missão internacional no Japão, o governador Rui Costa conheceu de perto a tecnologia da empresa Face Plus Plus.

Além de Bruno Dauster, Rui esteve na sede da empresa, em Pequim, acompanhado do secretário de Desenvolvimento Urbano, Sérgio Brito; e do senador Jaques Wagner. Com atuação em 15 países e identificação de mais de 10 mil suspeitos por meio do sistema, a empresa chinesa apresentou o portfólio de serviços à comitiva baiana.

Além de Simões Filho, mais 54 cidades receberão a novidade. Foto: divulgação

Na oportunidade, Rui também destacou o interesse no serviço de leitura inteligente de placas de carro para identificação de carros roubados ou com tarifas em atraso. Além do sistema de reconhecimento facial, os diretores da Face Plus Plus apresentaram ao governador da Bahia softwares que permitem, por exemplo, o pagamento de uma conta em um restaurante a partir da leitura do algoritmo do rosto ou o controle de frequência de alunos em uma escola.

A China tem uma média de 12 policiais para cada 10 mil habitantes, cerca de metade da média brasileira. Para os diretores da Face Plus Plus, o fato é explicado pelo avanço da tecnologia no país, que também resultou na redução de ocorrências e no aumento da resolução de casos de violência. As imagens capturadas têm funcionado, em grande parte dos casos, como elemento para investigação policial.

“Temos reduzido o número de homicídios e investido cada vez mais em segurança pública, inclusive na contratação de policiais. No entanto, é um caminho sem volta ampliar o uso da tecnologia nesta área, sobretudo com a finalidade de garantir o cumprimento da lei e atuar na prevenção de situações de violência”, afirmou o governador.